Operação visa verificar se os estabelecimentos estão seguindo os protocolos de segurança de combate ao novo coronavírus; operação envolveu também os supermercados, que já passam de 50 vistoriados

 

 

Depois dos supermercados, agora é a vez dos restaurantes por quilo passarem por fiscalização da Vigilância Sanitária de Guarujá. O objetivo é verificar se esse tipo de estabelecimento segue os protocolos de segurança sanitários instituídos, por conta da pandemia do novo coronavírus. A operação nesses locais teve início na segunda-feira (20).

 

São vistoriados itens como o uso de álcool em gel e da máscara no interior do estabelecimento, o controle da quantidade de pessoas dentro do restaurante, além de necessária organização de filas com o distanciamento seguro e medição de temperatura corporal para adentrar o estabelecimento.

 

Os fiscais da Prefeitura também estão de olho se os restaurantes a quilo fazem a limpeza periódica dos filtros de aparelhos de ar condicionado, assim como a instalação de uma placa destinada à proteção dos atendentes dos caixas e a constante higienização das superfícies.

 

Diferente dos demais, os restaurantes por quilo possuem algumas características específicas neste período de pandemia, de forma que o cliente não pode mais se servir diretamente. Agora, tendo o local um limite de 40% na capacidade, o consumidor indica os alimentos e um funcionário, portando máscara e luva, o serve.

 

Para esses estabelecimentos também foi definido a necessidade de marcas no chão para organizar fila do caixa e balcão de alimentos, assim como a indicação de distanciamento das mesas. É necessário que esses locais tenham ainda pia, sabão e toalha descartável para facilitar a higienização.  

 

Segundo o diretor de Vigilância em Saúde, Marco Antonio Chagas da Conceição, a maioria dos locais fiscalizados está em ordem com os protocolos sanitários. “Em alguns dos estabelecimentos, por exemplo, encontramos irregularidades como a necessidade de limpeza dos filtros de ar condicionado e o não controle da temperatura corporal do cliente na entrada do restaurante”.

Nesses locais, a Vigilância deu um prazo para a devida adequação. Em caso de descumprimento, o comércio poderá ser multado a partir de R$ 200,00, em valor definido conforme a irregularidade identificada e o porte do estabelecimento. Nenhum restaurante precisou ser multado até o momento. A primeira etapa da fiscalização envolveu os supermercados, que totalizam cerca de 50 já vistoriados.