Atuação da Apex Brasil em Cuba é uma caixa preta que precisa ser aberta

Em dez anos de atuação, comércio bilateral caiu 40%
DO DIÁRIO DO PODER
  | Atualizado 

Hipólito Gaspar é a figura indicada por Lula em 2008 para chefiar a Apex Brasil em Cuba.

A agência de promoção de exportações Apex Brasil se revela uma dessas caixas pretas que precisam ser abertas. Há dez anos gasta dinheiro mantendo seu escritório em Havana, único em toda a América Central, e se recusa a responder indagações sobre o papel do chefe da sua representação cubana, Hipólito Gaspar, que ocupa a boquinha por indicação do ex-presidente e presidiário Lula. Apesar da presença da Apex, houve queda de quase 40% no comércio entre os dois países. Os dados do fracasso podem ser vistos na página da própria Apex Brasil na internet. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A Apex Brasil é presidida pelo diplomata Roberto Jaguaribe, que, dizem funcionários, é tão simpático a Lula quanto seu funcionário em Havana.

A Apex tem resultados pífios. As exportações do Brasil para Cuba caíram de R$2,05 bilhões, em 2012, para R$ 1,3 bilhão em 2017.

A exportação de produtos manufaturados brasileiros desabaram 47% desde a abertura do escritório da Apex em Cuba.

Em 2015, a revista Veja revelou que Hipólito Gaspar “abriu as portas” de Cuba ao enroladíssimo sobrinho de Lula, Taiguara Rodrigues

Categoria:MUNDO

Deixe seu Comentário